Apesar de se sentir uma pessoa capaz de tomar decisões importantes, um adolescente não tem a maturidade para assumir responsabilidades de adultos. Existem adultos que até hoje não adquiriram esta mentalidade! Naturalmente as pessoas vão amadurecendo e compreendendo melhor as suas ações e efeitos de cada uma delas em sua vida.

Neste artigo vamos falar das complicações e consequências do excesso de peso na vida da criança e do adolescente. Vamos conhecer melhor os riscos da obesidade infantil que é muito mais presente do que você imagina. Além de dar dicas de como agir para ajudar a combater este problema.

Obesidade infantil: Mudança de comportamento

Com o passar dos anos, as crianças e jovens deixaram de lado uma vida completamente ativa de brincadeiras nas ruas, nas praças e adotaram uma vida mais sedentária, regada à tecnologia e uma alimentação cada vez pior.

A sociedade incentiva isso, a publicidade e a moda também, e como você pode enfrentar tudo isso? Bom, o primeiro passo é através de uma boa educação, os pais precisam estar presentes na formação do filho, não somente no lado financeiro como acontece com a maioria atualmente.

Quais as consequências da obesidade infantil?

Riscos da obesidade infantil

Os pais se preocupam tanto em oferecer conforto para seus filhos, que passam horas longe de casa trabalhando para dar tudo de melhor para eles e apesar de fazê-lo com bom coração, existem graves consequências nisso.

A tendência é deixar comidas de fácil e rápido preparo para os filhos, ou seja, os terríveis fast food. Ou dar o dinheiro para que eles comprem o lanche, o que acaba resultando no mesmos tipos de alimentos não saudáveis. Como não há um alimentação correta e muito menos o controle da quantidade ingerida, as crianças estão cada vez mais doentes.

É preciso mudar de hábito já, introduzir alimentos saudáveis na rotina alimentar dos pequenos, incentivar a prática de atividade física e principalmente, instruir sobre os riscos de não adotar esta postura mais saudável.

Obesidade infantil: Causas e Consequências

A criança com problema de peso precisa conhecer e entender as consequências deste problema para a sua saúde. Sendo assim, questione eles sobre os riscos desta situação, faça-os conhecer os malefícios que é algo que os comerciais de TV quase não falam. Atualmente a diabetes, obesidade, estresse e muitas outras doenças que antes eram problemas de adultos, estão cada vez mais frequentes na vida das crianças e adolescentes.

Além das doenças já citadas, os jovens tendem a ter problemas sociais com dificuldade de aceitação do seu corpo e sofrer bastante com as críticas sociais relacionadas ao padrão de beleza. Tudo isso pode resultar em depressão profunda e levar os jovens a tomar atitudes desesperadas.

Obesidade infantil: Tratamento

O primeiro passo é a conscientização e diálogo. Não faz sentido apenas dizer que você estará do lado deles, você precisa mostrar esta presença com ações. Se seus filhos precisam de uma mudança alimentar, você não pode comer um hambúrguer perto deles, se eles precisam realizar exercícios físicos, não é sentado no sofá que você irá incentivá-los. Sendo assim, é muito importante ser um bom exemplo.

O segundo passo é contar com a ajuda profissional! Busque a orientação médica para determinar se o seu filho está apto a realizar atividades físicas, conte com a orientação de um profissional de Educação Física para instruí-los durante os exercícios. As pessoas com problema de peso tem maiores probabilidades de apresentar problemas articulares se o exercício não for realizado de forma correta. Por fim, consulte um nutricionista para ajudar no controle na nova dieta alimentar. Estas 3 ações em conjunto são fundamentais para conduzir esta mudança em segurança.

Muitas pessoas alegam que tudo isso é muito caro, mas você já parou pra pensar quanto custou o vídeo game, o celular, o tablete, etc. Quando o assunto é saúde, nenhum investimento deve ser tratado como caro.

Esteja sempre disponível para escutar seus filhos, mas não espere apenas que eles o façam. Busque este dialogo, faça sugestões, ofereça conselhos de forma gentil e dê espaço para fazerem escolhas corretas. Mostre que você confia neles, mas é importante frisar que o papel da família é educar e para isso, as vezes é necessário a imposição de alguns limites.

Se você conhece alguém com este problema, indique este artigo para a família ou até mesmo compartilhe com eles as informações aqui obtidas. Com estas atitudes você pode estar ajudando no combate deste problema e melhorando a qualidade de vida deles.

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)