O que são macrófagos? Qual a função do macrófago?

Em Corpo humano por Bruno Almeida

Você sabe quais são as principais células de defesa do organismo? Aqui no Buscar Saúde nós já falamos dos leucócitos e também dos linfócitos! Agora, chegou a vez de explicar todos os detalhes sobre os macrófagos, que também são importantíssimos atuando no nosso sistema imunológico.

Macrófagos

São células derivadas dos monócitos, que são um tipo de linfócito. Os macrófagos são encontrados no tecido conjuntivo, tendo participação fundamental na defesa do nosso organismo!

Dentre as principais características dos macrófagos, podemos citar que são células de formato irregular, possuem citoplasma abundante e tem a presença de pseudópodes.

Função do macrófago

Sem dúvidas, a função principal é realizar a fagocitose das células danificadas, células envelhecidas, agentes estranhos, restos celulares e partículas inertes. Tem uma surpresa no final, vamos deixar um vídeo mostrando como acontece essa incrível e importante fagocitose, vale a pena assistir porque é bem legal!

O que são macrófagos?

Qual a função do macrófago?

É importante frisar que as outras funções dos macrófagos podem variar, justamente de acordo com o local onde ele é encontrado, além da denominação recebida. Indiferente disso, saiba que todos os tipos de macrófagos realizam a famosa fagocitose.

Então, bora entender um pouco mais sobre as diferenças e alguns tipos!

Além destes citados, também temos outros tipos importantes. Por exemplo, os monócitos que estão no sangue, as micróglias que estão no sistema nervoso, e os osteoclastos que estão no tecido ósseo.

É muito legal pensar que uma célula pode ter tanta importância não é mesmo? E acredito que é isso que faz o corpo humano ser tão fascinante!

Macrófagos e o sistema imunológico

Os macrófagos atuam na produção e liberação de substâncias importantes, que posteriormente induzem a produção de várias células cruciais para os processos inflamatórios e/ou imunitários.

Pensa bem, os macrófagos ajudam a iniciar a resposta ao quadro inflamatório, depois eles vão lá e também realizam a limpeza destes locais, removendo o máximo possível de células destruídas.

E o danadinho do macrófago é bem eficiente viu! Você sabia que ele conta com receptores de superfície? Sabe o que isso faz? Eles reconhecem os microrganismos rapidamente, assim é possível alertar o sistema imunológico sobre a existência deste agente estranho!

Macrófagos e Monócitos

Como citamos no início do artigo, os macrófagos são originados dos monócitos, que são células sanguíneas formadas na medula óssea. Eles vão circulando pela corrente sanguínea como se fossem estradas, e isso acontece até que eles tenham chegado aos locais de destino. A partir daí eles sofrem as diferenciações, e em seguida começam a desempenhar as suas funções específicas.

E o monócito? Bom, ele é um tipo de leucócito, e podemos dizer que são a forma imatura do macrófago. Como diferença principal, podemos citar o aumento no número de lisossomos. Caso você não saiba, quanto mais lisossomos, maior será a capacidade de realizar fagocitose.

Está lembrado do vídeo que prometemos? Chegou a hora de ver a fagocitose acontecendo, então assista com bastante atenção este vídeo a seguir!

Aqui no Buscar Saúde temos artigos incríveis sobre o corpo humano, então quero te convidar para continuar lendo as nossas postagens para aprender ainda mais. Se possível, nos ajude compartilhando nas suas redes sociais e convidando outras pessoas para conhecer o nosso trabalho.

Sobre o autor

Autor Bruno Almeida

Bruno Almeida é formado em Educação Física pela UFV - Universidade Federal de Viçosa. Foi aluno destaque do instituto e agora compartilha seus conhecimentos no site Buscar Saúde!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista. Procure sempre orientação médica presencial antes de consumir ou utilizar qualquer produto ou substância terapêutica.

Deixe um comentário