Por vários anos a mídia impõe um padrão de beleza que segundo ela, é primordial para que a pessoa alcance o modelo de “vida perfeita”. De acordo com a concepção midiática, para a pessoa ser feliz ela precisa ser magra e ter um corpo sarado, mas apesar de isso ser um absurdo, diversas pessoas acabam sofrendo com isso e daí surgem os vários transtornos alimentares.

Dentre os mais famosos estão a Anorexia, que consiste basicamente no medo constante de engordar, fazendo com que a pessoa evite se alimentar para manter o “corpo ideal”, já fizemos um artigo sobre Anorexia aqui no Buscar Saúde, caso queira saber mais sobre esta doença, indicamos esta leitura complementar! Outro transtorno alimentar comum é a Bulimia, e é justamente sobre ela que iremos falar neste artigo.

O que é bulimia e como prevenir?

Entenda melhor como essa doença é desenvolvida e como a pessoa deve lidar quando descobrir que possuí este problema!

Bulimia, o que é?

A Bulimia é um distúrbio alimentar que causa uma compulsão muito grande em ingerir muita comida, mas logo que a pessoa termina de comer surge um sentimento de arrependimento ou medo de engordar, fazendo com que a pessoa busque formas de eliminar o alimento que foi ingerido. O meio mais comum é a indução de vômitos, mas as pessoas também fazem consumo de laxantes e diuréticos, além de praticar exercícios físicos exageradamente.

Bulimia: Quais as classificações?

Esta doença pode ser classificada em dois tipos. O primeiro é a Bulimia com expurgação, onde a pessoa induz o seu vômito, faz uso exagerado de laxantes e/ou diuréticos depois de comer. O segundo tipo é a Bulimia sem expurgação, onde a pessoa utiliza outros métodos para se livrar das calorias como por exemplo, jejum, dietas rigorosas ou praticar exercício excessivo.

Bulimia, quais as causas?

Esta doença ainda não tem uma causa exata conhecida, mas por ser um tipo de transtorno alimentar, diversos fatores podem estar envolvidos nesta compulsão pela eliminação instantânea de calorias. São vários os fatores que podem causar este problema, dentre eles podemos citar fatores genéticos, psicológicos, traumáticos, familiares, sociais e culturais.

Bulimia, quais os fatores de risco?

Na sequência vamos abordar detalhadamente quais são os fatores de risco que podem agravar este problema e ajudar a desencadear mais facilmente este distúrbio em alguém, são eles:

  • Sexo feminino – As mulheres são as mais afetadas por este distúrbio, sendo que as adolescentes e as jovens adultas são mais propensas a terem bulimia. Os homens não estão excluídos, mas são pouquíssimos que desenvolverem esta doença.
  • Genética – Especialistas indicam que apesar de ainda não haver comprovação científica, supõe-se que as pessoas que tem parentes com algum tipo de transtorno alimentar, também podem desenvolver este problema.
  • Problemas psicológicos e emocionais – As pessoas que sofrem com transtornos psicológicos ou autoestima baixa também podem desenvolver a bulimia.
  • Pressão da Mídia – As revistas, jornais, programas de TV e vários outros meios de comunicação apresentam um padrão de beleza universal, fazendo com que as pessoas em sua grande maioria meninas, associem a magreza com sucesso, popularidade e felicidade.
  • Pressão de trabalho – Os atletas e ou pessoas do meio artístico em geral sofrem muita pressão e podem desenvolver transtornos alimentares, visto que eles estão sendo incentivados a perderem peso constantemente.

Bulimia, quais os sintomas?

O maior problema desta doença é que em grande parte dos casos os sintomas de uma pessoa com Bulimia não são vistos por outras. Isso acontece por que a pessoa tenta esconder ao máximo que ela possui este transtorno em questão. Mas mesmo assim, é possível identificar vários sinais que vamos apresentar na sequência! Os sinais mais visíveis são:

  • Não comer na frente de outras pessoas
  • Agir como se estivesse sob dieta
  • Controlar todas as calorias ingeridas
  • Revelar constantemente o seu medo de engordar
  • Fazer exercícios compulsivamente
  • Usar roupas mais folgadas
  • Ficar desconfiada e agressiva
  • Apresentar sinais de desnutrição
  • Sentir tontura
  • Desmaiar
  • Sentir fadiga constante
  • Sono exagerado
  • Emagrecer subitamente

Agora vamos destacar os sinais menos visíveis, porém são os mais importantes para indicar se uma pessoa sofre de Bulimia, portanto, fique bem atento!

  • Vomitar depois das refeições
  • Ir ao banheiro logo após se alimentar e permanecer muito tempo
  • Usar constantemente laxantes e diuréticos, nestes caso a pessoa pode apresentar cólicas abdominais, inflamações anais ou descontrole intestinal.

Bulimia, como diagnosticar?

O diagnóstico preciso desta doença só é possível após um médico ser consultado! Nesta consulta geralmente ele irá fazer diversas perguntas, sendo que as mais comuns são:

  • Há quanto tempo você se preocupa com o peso?
  • Há quanto tempo você pratica exercícios físicos?
  • Quantas vezes por dia você se alimenta?
  • O que você faz para perder peso?
  • Você toma algum remédio?

Além de fazer estas e outras perguntas, o especialista geralmente realiza alguns exames físicos no paciente para buscar algum sinal que possa confirmar a Bulimia. Quase sempre são solicitados exames completos de sangue, urina e fezes para detectar possíveis desequilíbrios eletrolíticos ou desidratação.

Bulimia, qual o tratamento?

Para tratar esta doença e depois curá-la completamente, a pessoa precisa admitir que tem este problema e que precisa de ajuda. Depois disso, os tratamentos nutricionais e psicológicos podem ser iniciados em conjunto com o objetivo de fazer com que o todos os possíveis fatores que desencadeou esta doença sejam totalmente revertidos. Se você sofre desta doença e quer se tratar, preste atenção e siga estes 4 itens que vamos apresentar agora.

  • Admita que você tem algum problema.
  • Fale com alguém de confiança.
  • Mantenha distância de pessoas ou lugares que desencadeiam a tentação da compulsão ou expurgação.
  • Busque imediatamente ajuda profissional

Jamais faça uso de medicamentos por conta própria ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente o especialista saberá indicar qual o medicamento, a dosagem e a duração do tratamento que é o mais indicado para o seu caso em específico. Entenda que a Bulimia é uma doença de difícil recuperação, mas se a pessoa seguir corretamente todos os conselhos médicos, a cura é certa.

Bulimia, como prevenir?

Infelizmente ainda não existem formas totalmente eficientes para a prevenção da Bulimia, mas algumas atitudes podem te ajudar a afastar as chances de desenvolver este problema.Evite contato com alguns dos fatores de risco citados! Cultive a ideia de um corpo saudável não depende da silhueta imposta pela mídia! Converse sempre com um médico e realize exames de rotina regularmente! Por fim, ame seu corpo como ele é, e caso queria mudar algo, busque formas saudáveis de fazê-lo! Caso tenha gostado de nossas dicas, compartilhe esse artigo com os seus amigos, nos ajude a propagar essas importantes informações e afastar cada vez mais pessoas desta doença!

Aviso legal

O conteúdo deste site tem caráter apenas informativo. NÃO receitamos ou prescrevemos substâncias ou tratamentos. NUNCA faça tratamentos ou utilize substâncias sem a indicação de um médico especialista.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)